Pensamento

Quando aparece no mundo um verdadeiro génio, podemos reconhece-lo através de um sinal: Todos os estúpidos se unem contra ele.
Jonathan Swift

terça-feira, 28 de junho de 2011

Viana do Castelo, visita alternativa

Entre o decadente tribunal de trabalho e o "magnífico" axis hotel




Em frente ao 1º de Maio.

Ao lado do Hotel Parque

Algures na Areosa, uma verdadeira obra de arte.

O Inevitável 157. Pode ser encontrado um pouco por toda a cidade. 
Para mim sempre foi um mistério cujo significado nunca descobri. Um Ocupa!?
Escolhi estes três de entre muitos que vi, geralmente em prédios devolutos. A marca: 157.






Da Matriz ao Mercado....



Encontramos:

Perguntas?


Abraços?


Sofrimento? Inquietações?


Atitude?


Apelos?


Avisos ?


Alertas para pseudo pandemias

E, como os últimos são os primeiros...
não podia faltar aqui o meu favorito...


quinta-feira, 23 de junho de 2011

Provérbio Chinês

Se ouço...esqueço.

Se vejo...lembro-me.

Se faço...entendo.

Roxanne, Praia da Amorosa

Quatro amigos decidiram embarcar na aventura de abrir um bar
chamado Roxanne, na praia da Amorosa.
Era com este som que se abriam as hostilidades
Com o mesmo som se "varriam" os clientes ao fim da noite.


Um abraço ao Vasquinho ( sempre presente, mas nunca no bar), ao Campelo ( e o seu álbum dos Z Z Z Z Top) e ao Rauzito, algures no Brasiu.
Faz 15 anos que tudo aconteceu...

quarta-feira, 22 de junho de 2011

Restaurante Taberna Velhos Tempos, em Braga.

Rua do Carmo, 7.
Espreitámos...
Parecia típico e acolhedor.
E era mesmo.
Uma boa surpresa.

Voltarei, porque gostei.

terça-feira, 21 de junho de 2011

Mudam-se os tempos

Coisas de ontem
A primavera, O Villas-Boas e o Sr. Engenheiro.
Aí está, 
para primeiro dia de um verão que esperamos solarengo e verdadeiro...
já não é pouco...



sexta-feira, 17 de junho de 2011

Justiça Salomónica no C.E.J.

CENTO E TRINTA E SETE candidatos a juízes e a magistrados do M.P. foram todos corridos com um dez num exame. Porquê? Porque foram apanhados a copiar, imagine-se!
Como diria o Calimero:  " É uma injustiça...!"
Que começa muito antes dos bancos dos tribunais.
Infelizamente, mais um exemplo da tal meritocracia que nos vai empurrando para a bancarrota. Alegremente.
Shame on you.

quarta-feira, 15 de junho de 2011

A análise política do meu filho

De quem gostas mais?
Do Cavaco Silva, do José Sócrates ou do Pedro Passos Coelho ?
Do Panda, respondeu o Tomás, sem hesitações.


sexta-feira, 10 de junho de 2011

Já tenho saudades

Chega ao fim o dia 10 de Junho.
De Portugal, de Camões e das Comunidades.

Mas fica tristemente marcado por uma fatalidade.
Faleceu um dos meus grandes amigos.
Tinha 52 anos. Não se faz.
Já tenho saudades.
Até seeeeeeeempre, Freixinho.

quinta-feira, 2 de junho de 2011

Antípodas

Juntando-me ao meu filho, aos seus colegas da Creche e clientes do Lar de Idosos
Ontem assisti à inauguração de um parque infantil e a um improvisado teatrinho de fantoches.

De um lado os clientes mais novos fitavam com especial interesse e até alguma cobiça
a fila de cadeiras de rodas que se acomodara do outro lado da rua
posso adivinhar que ganhavam coragem para pedir brinquedo igual, com rodas iguais
pois que nunca terão visto por casa - não foi o meu caso

tal ironia forçou-me um nó na garganta
e não evitei algumas lágrimas

De tão inusitada prateleira,
até ali conduzida do lado oposto da rua,
como da vida,

os cidadãos usados,
crianças no seu tempo,
devolviam já apenas pálidos sorrisos
e nas caras tinham olhos,
olhos que viram tanto e tantas coisas
que agoram já só olhavam...
ternamente

ali depositados
terna  mente
por filhos sem tempo

olhavam apenas
como que perpetuando memórias de um estado bruto de felicidade
de onde vieram um dia
ter a este estado desenganado
de nada pensar

só olhavam...
alegremente
tristemente

vagamente

ora  além do que a vista alcança
ora um ponto imaginário...parecido com... ontem!?!
não, que não é já tempo de ilusões.

Suspirando!
e pensando em ... nada
agora, mais nada....

Que nunca na vida se sentiram com tanto tempo para esperar.
Mas o que é esperado que esperem?
Sofrer pouco, dir-se-á. Já não é pouco esperá-lo.

Voltei a procurar o olhar mais belo do mundo - que não fui a tempo de mostrar ao meu pai -
e encontrei o Tomás já encantado, seguindo os fantoches
sentado no chão

Concluí apenas pela incrível semelhança
dos gestos
dos sorrisos
das palmas
da abstração
do contentamento
do efémero
das reacções
entre a senhora, que alguém entretanto ajudou procurar uma sombra
(e agora pouco mais que vegetava) ao meu lado
e a minha criança sentada no chão

dois extremos
daquilo a que chamamos

vida.